quinta-feira, 3 de junho de 2010

Vendo a vida com outros olhos...


Na semana passada, estava inocentemente comendo uns biscoitinhos wafer de morango, enquanto procurava algo de bom na TV, e me deparei com Saawarya, um desses filmes de Bollywood, que são o máximo! Saawarya é do tipo de filme que eu, pelo menos, não aceito bem, na primeira vez. Depois que vi, fui direto navegar na internet, e procura críticas, e explicações mais profundas sobre o perfil psicológico dos personagens. Fiz isso tudo pra aceitar o final, que foi imprevisível para mim. Mas mesmo estando com lágrimas nos olhos, achei o filme lindo e assistiria sempre, assim como o Fantasma da Ópera, com o Gerry Butler. É triste, mas é absurdamente lindo! O filme foi baseado na obra "Noites brancas" de Dostoievsky. O título se deve a um fenômeno solar que ocorre geralmente este mês, na Rússia, em que a noite fica tão clara que se pode ler sem luz artificial, porque o sol não se põe completamente. Deve ser bonito de ver.
Na tradução de Carlos Loures, há uma frase também absurdamente linda, que diz: "Meu Deus! Um minuto inteiro de felicidade! Afinal, não basta isso para encher a vida inteira de um homem?..." E essa frase me fez entender melhor todo o filme. Será que existe alguém que considere um privilégio o simples fato de poder amar, independente de ser amado? Sinceramente, eu achei que conseguiria fazer isso. Bem na parte de amar, continuo amando. Mas na parte em que se acha isso um privilégio, ok, nesse caso, admito que amar sem ser correspondida é um defeito enorme que tenho que deletar de mim. Ainda mais quando esse defeito aflora pela presença de uma só pessoa. Não, ninguém merece isso. Mas achei tão lindinho ver isso no personagem do filme, ainda mais por ser um personagem masculino. Torci por ele durante todo o filme, mas entendi que a alegria dele não se baseava em retornos. A felicidade dele significava apenas dar, sem estar preocupado com o receber.
O filme todo tem uma atmosfera tão azul, tanto literal como poeticamente falando. E as coreografias são tão ocidentais, às vezes, kkkkk. Chorei mais por dentro que por fora, e todos sabem: assim é bem "pior". Não tenho condições emocionais de assistir a esse filme, em qualquer dia e hora, mas assistiria mil vezes, estando bem preparada.
São quatro noites mágicas, um coração sonhador, e outro esperançoso e sofredor.
Assistam.

Beijos e pétalas.

7 comentários:

luciana disse...

Nossa ,confesso que fiquei curiosa em ver o filme agora ,depois desse relato maravilhoso.
Deve ser lindo...

Debor@h disse...

Pétalaaa linda,

Olha, esses filmes não são muito o meu tipo haha, mas fiquei curiosa em assistir agora. Sobre amar sem pedir nada em troca é lindo em filme mas na realidade é dolorosas e triste, devemos sim amar sem medo de ser ou não correspondidos, mas não insistir em algo ou alguém que não nos ama. Tentar sim, buscar sempre pela nossa felicidade e nunca desistir, na importa quantas vezes batemos com a cabeça na parede hahah. Deve ser por isso que tenho enxaquecas hahah Beijossss

Ps- Amiga, queria te fazer um convite, se tiver um email me passa por favor e te explico. Bjs

Luciana disse...

Pétala minha flor,te indiquei pra mais um selinho.
Espero que goste.
Bom FDS .



beijo

Lampejos disse...

...
Pois de acordo com o filme:

Parece que existem equilibristas caminhando
por estrela de um desejo que palpita um amor não correspondido.
___

Pétala, muito obrigada por tuas palavras.:)


(a)braços,flores,girassóis..(::)

Rach disse...

Estou conquistada! Tenho mesmo, MESMO, de ver esse filme!!

AFRICA EM POESIA disse...

Vim deixar ...PÉTALAS de Poesia





GENTE



Sentir que sou Gente...
Sentir...
Que os meus olhos brilham contigo...
Sentir...
Que o meu coração ama também...

Eu danço, a dança da vida...
Porque a vida é linda...
E o amor também...

E sinto no meu peito...
Que ser livre...
É ser... Gente...


Eu vou dançar...
Eu vou amar...
E vou rodopiar...

E sentir que esta dança...
Não foi em vão...
Porque afinal...
Sou mesmo Gente!...




LILI LARANJO

Pétala disse...

Lu, assista, você não vai se arrepender...e o selinho, já vou trazer pra cá.

Debor@ah, convite super aceito. Ah, e prometo não te deixar curiosa por muito tempo, kkkk.

Lampejos, somos mesmo todos equilibristas, sem rede de proteção.

Rach, não se esqueça de vir me contar o que achou depois, tá?

Africa, obrigada por deixar pétalas de poesia aqui, e seja muito bem-vinda!

Beijos e pétalas.