sábado, 10 de abril de 2010

Metade...

Esta é mais uma carta que a vida te proibirá de ler. Sim, porque a vida conhece bem a impossibilidade, e se dá bem com ela. A vida é o tipo de amiga que se dá bem conosco, mas também se dá bem com quem não faz bem pra nós. Por isso ela não te deixará ler, porque sabe no fundo, que eu gostaria que teus olhos lessem. Também te proibirá porque sabe que teus olhos não compreenderiam nem a superfície do significado destas palavras tecidas aqui.
Hoje escrevo para dizer que me sinto uma metade completa. Uma metade não minguante, mas também não crescente...apenas uma metade. Uma metade simplesmente, uma visão perfeita daquilo que eu julgaria impossível há alguns anos atrás. Meu coração se desesperaria e sofreria com muita antecedência ao saber que tua vida estaria completamente afastada da minha por escolha própria.
Acompanho tua vida como uma minissérie em que se perde alguns capítulos, e que só o resultado chega como notícia final sem maiores explicações. E na maior parte das vezes sem imagens. Só palavras digitadas aqui e ali. Junto algumas peças tortas de um complexo e ainda incompleto mosaico. E desejo tua felicidade, porque te amo, e não mudei a intensidade do meu amor, nem permiti que interferências alterassem os alicerces da minha fidelidade. Amo porque sou diferente de ti, meu querido caleidoscópio banhado em escalas de cinza.
Não quero julgar, lutar ou discordar: quero tua explicação, para eu entender porque o amor que ainda te é acessível não vale à pena.

7 comentários:

Vanessa Pompeu disse...

É...voltamos juntinhas mesmo. E, quando vc falou sobre ser uma metade completa, isso me lembrou (quimicamente falando) do subnível "d", de Pauling. Este subnível pode comportar no máximo 10 elétrons emparelhados, como o Zn tem, por ex. Só que foi descoberto que aqueles que possuem essa subcamada semi-preenchida (5é) tbm atingem quase a mesma 'estabilidade', como o Cr por exemplo. Assim sendo, esta luta pela estabilidade mesmo se estando incompleto já vinha lá da estrutura atômica dos elementos. Se eles podem, nós tbm podemos!rsr
Lindo post como sempre.
Abraço Pétala!
Vanessa.

Rach disse...

quero guardar para sempre na memória estas frases: "desejo tua felicidade, porque te amo, e não mudei a intensidade do meu amor, nem permiti que interferências alterassem os alicerces da minha fidelidade. Amo porque sou diferente de ti, meu querido caleidoscópio banhado em escalas de cinza."

supremo!

Luciana ~~¤° disse...

Concordo com o coment acima.
Adorei esse trecho
"E desejo tua felicidade, porque te amo, e não mudei a intensidade do meu amor, nem permiti que interferências alterassem os alicerces da minha fidelidade"

Isso mostra que é mesmo amor.

Sabe que quando eu tinha 17 anos e meu namoro terminou,eu fiquei muitooo mal,e naquela época eu desejava que tudo de ruim acontecesse á ele.É sério,é mesquinho eu sei,mas isso só me faz ver hj que ñ era amor o que eu sentia por ele.Sei lá o que era.

Tava com saudades de vc viu sumida rs.
Aparece mais vezes com suas postagens maravilhosas , que sempre me faz refletir.

beijos.
^^

mari (a)penas... disse...

Triste mas belo. Intenso será talvez a palavra certa.

E nada mais sinto que devo acrescentar, porque as tuas palavras dizem tudo. Parece que se transformam em imagens.

Deixo-te um beijo, já tinha saudades de te ler (:

Pétala disse...

Vanessa, concordo totalmente: yes, we can, kakakaka! Amei a explicação científica, deixa tudo mais interessante!

Rach, muito obrigada, querida! Mas saiba que quando você escreve eu sempre tenho a sensação de que não poderia escrever nada igualmente supremo. Sou fã, você sabe, não é?

Lu, que responsabilidade a minha, hein? Pode deixar que vou aparecer mais vezes. É que as duas semanas que passaram correram muito mais do que eu imaginava que poderiam!

Mari, elas se transformam em imagens porque se originam de imagens...as palavras apenas voltam às origens.

Beijos e pétalas.

Lampejos disse...

...
Oxalá ele estivesse aqui para te responder.
____
às vezes tudo se vai
tragado vai pelo esquecido
como o tempo... perdido na distância
como luz intocável pelos olhos cegos... e as mãos vazias.
___
não, não sofras mais...não é necessário.
encontrarás outros ladrilhos no final dos capítulos...
outros ladrilhos que te acolham
que te embale
que te abrace para reconstruírem juntos um mosaico completo em várias cores.
___
tu alma sim, é bela...
romântica também..:)

[obrigada]

(a)braços,flores,girassóis..(::)

Pétala disse...

Lampejos, fico sempre emocionada com essa sua forma tão poética de comentar. Leio um poema lá, encontro outro aqui...muito obrigada!

Beijos e pétalas.