quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Crush 2


.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

Prometi que iria falar sobre o tal carinha do trabalho. Ele não é do tipo que me faz pensar: "hmm, que interessante, eu quero pra mim", não. Ele é do tipo que estranhamente me deixa nostálgica, e me faz pensar mais em mim mesma, nas coisas que eu queria e perdi, nos objetivos novos que tenho que traçar, nos dias ensolarados que tenho que voltar a redesenhar pra mim. Não tentem entender, o cara tem um efeito psicológico em mim. Como se fosse meu analista. Sim, é bonito, mas é meu analista, e tem cara de lembrança.

Tem cara de que um dia vou estar num lugar diferente, num momento diferente, e vou me pegar pensando: "Tive um "analista" diferente, e ele nunca soube disso", com um sorriso nos lábios, e isso é muito legal, se a gente parar pra pensar. O cara me lembra o sol, kkkk, ok podem rir, mas é o que ele me lembra. Não vou postar a foto do "sol" aqui, mas para vocês terem uma idéia, apesar de não ter nada a ver, vou citar uma pessoa que também me lembra o sol: o Simon Baker, vulgo Patrick Jane, de "The mentalist". Agora vocês me entendem, não? Ele não lembra o sol? Todo loirão, aquela segurança sexy e misteriosa, ui, parei, rsrsrs. Pois bem, ele (o sol brasileiro, não o americano) surgiu numa hora em que todos pareciam estar meio letárgicos, e eis que fez uma diferença incrível.

As moças ficaram muito mais animadas, alguns rapazes ficaram influenciados pela postura madura dele, e os infantis assumidos, por incrível que pareça, ficaram mais infantis ainda, o que ressaltou as qualidades masculinas do Sol. o Sol tem um nome assim tipicamente americano, é gentil, cortês, cavalheiro, leva consigo um sorriso misteriosamente sensual, e uma simplicidade muito interessante. Os sorrisos quando eu chego, os cumprimentos respeitosos, aliados ao sorriso mencionado tem um efeito quase bronzeador em mim, rsrsrs. Dia desses, ele estava dizendo que planejava mudar de turno, quando de repente, virou sem mais nem menos, e perguntou se eu estaria no mesmo horário em 2010. Eu disse que sim, ele deu o tal sorriso, e fechou a porta sem dizer mais nada. 'Hmmm, nova temporada de "The mentalist" em 2010' - pensei. O episódio da carona também foi super legal. Naquele dia eu precisava ir a outro lugar depois do trabalho, e para isso, deveria pegar outro ônibus, cujo ponto fica beeeem mais distante. Andar no sol (literal) meia hora é cansativo. Pois ele meu deu uma caroninha básica, e em 5 minutinhos, eu já estava linda e bela no ponto de ônibus. Economizei tempo, e ainda provoquei ciúmes, o que é divertido, às vezes, kkk, devo admitir. Ele mostrou que 5 minutos podem ser bem usados para uma boa conversa. Fiquei admirada: ele perguntava sobre mim, meu trabalho, fez uma pequena entrevista, discretíssima, e ainda me falou sobre alguns detalhes da vida dele. Conciso. Direto. Discreto. Mas não diria tão sério. Eu acho que ele tem momentos de descontração, e eu sou louca para vê-lo dançando num desses barzinhos animados à beira da praia, à noite. Eu iria dançar também, claro. Mas não sem antes admirá-lo em suas diferentes nuances de cores e brilhos.
Viajei, gente, mas o sol e o "Sol" me deixam assim mesmo, animada, sorridente, alegre. Tem horas que a vida parece filme. Algumas vezes deixamos que alguém não saiba o que nos causa, o que significa pra nós em determinado momento da vida, de propósito. Nem sempre dizemos por que sorrisos. Nem sempre precisamos. E nessas horas, isso basta.

4 comentários:

Catarina disse...

adorei o seu blog ^^
eu adoro ver essa serie!nao ha nada como um homem assim lindo e misterioso!
muito obrigada por passar no blog!
beijo

Pétala disse...

Que bom, Catarina, pode voltar sempre que quiser, tá? Será um prazer para mim te receber aqui. Mas, meniiiiina, não é verdade, que um homem lindo e misterioso traz um sabor a mais aos nossos dias? rsrsrs

Beijos e pétalas.

Lucy disse...

Eitaaa fiquei daqui imaginando esse sol ,hummm imaginação a mil rs.Sim pq ser comparado com Sol deve ser tudo de lindo néh?!

abraços

Pétala disse...

Lucy, gosto é gosto, não é, tudo muito relativo. Mas eu acho que você acharia ele lindo, sim, rsrsrs.

Beijos e pétalas.