segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Esvaindo-se...

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Apressa-te, amor, porque não consigo falar estas palavras frente a teus olhos.
.
Exausta por amar por dois, chego à inevitável conclusão de que isso não pode ser um ato eterno. Retiro água de um poço quase vazio, e preciso de, pelo menos, algumas gotas de amor. Ainda tenho forças para multiplicá-las, mas não para viver de idéias inventadas. Meu coração ainda consegue amar, mas minha boca agora inerte não pronuncia sonhos transparentes e flutuantes.
.
Não nos deixe morrer. Ainda podemos ser.
.
Por favor, não explore em excesso as surpresas que o tempo pode oferecer, porque o tempo tem duas faces. Peço-te enquanto ainda existe fogo, enquanto existe beleza nos desabrochar das flores, enquanto existe magia no entardecer da esperança.
.
Apressa-te, pois o sintoma a seguir é não sentir coisa alguma por ti.

4 comentários:

Ana'Space disse...

Tao bonito * * * *

Debor@h disse...

Eu sou como é se sentir assim. Espero que vocês encontrem um caminho pois essa situação é sempre muito ruim. Amor é feito para ser vivido a dois e não podemos amar pelos dois. Mas força e o que tiver que ser será, e não importa o que acontecer, mesmo que você não entenda, você estará bem! Beijos pétala!! :-)

Debor@h disse...

Aiiiii acabei de te escrever um comentário enorme e me parece qeu não deu para enviar..... Ufff

O que queria é dizer que não importa o que acontecer, você estará bem e acredite em você.

Ps- Espero que você tenha recebido o outro comentário.... Sniffff Snifff

Beijosss

Pétala disse...

Debor@h, não se preocupe, seus comentários vieram, os dois! Às vezes, o blogger dá um sustinho básico na gente, kkkkk. Obrigada, querida.

Beijos e pétalas.